RC.png

RACERCLUBE @ 2020

Buscar

Domínio de E. Sá, 2ª bateria de J. Bregonci e liderança para A. Riera. Teretonga "on fire"


Eduardo Sá - Vencedor da 1ª bateria

O traçado virtual de Teretonga Park, na Nova Zelândia, recebeu a primeira das três etapas da T1/2020 da GridBR Open Series. E por lá, Eduardo Sá da DRONE E-Racing treinou muito. Muito mesmo. Era de longe um dos mais empolgados para a corrida inicial. E os treinos com empolgação foram traduzidos em domínio absoluto da primeira prova da temporada. Sem dar chances aos rivais, cravou a pole-position com o tempo de 51.035, resistiu bem a pressão inicial dos adversários, e depois administrou tranquilamente até a bandeirada final, mostrando que de fato era o piloto mais rápido e preparado para o primeiro desafio.

Equilíbrio dos treinos refletiu na sessão classificatória:



Foram quatorze pilotos dentro do mesmo segundo. Nada melhor do que esta informação para resumir o equilíbrio da sessão classificatória da etapa. O pole-position foi o favorito Eduardo Sá da DRONE E-Racing que cravou a marca de 51.035. Como o grid da pista não oferecia vantagem para pilotos da mesma fila, o piloto teve largando literalmente ao seu lado Thiago Barbosa da Sinister Race Team, que girou sua melhor volta em 51.056. E o equilíbrio seguiu até Jeferson Richart (Racers4Fun) que com o tempo de 52.013 garantiu o 14º posto, ficando a menos de um segundo do líder fechando a 7ª fila do grid.



Sinaleira verde!!!

A volta inicial foi bastante disputada, porém, sem maiores incidentes. Lá na frente Eduardo Sá iniciava sua trajetória da vitória. T. Barbosa que perdera a 2ª posição para Rômulo Silveira da Gryphus Motorsports, recuperou-se na volta 13, quando um erro de Rômulo na curva 4 lhe entregou de bandeja a posição. Alexandre Paumgartten da BlackBirds Racing, foi outro que se manteve muito bem durante toda prova, fechando a primeira bateria no 4º posto. Seu companheiro de equipe Rodrigo Laurito vinha num confortável 5º lugar, porém, ao contrário dos quatro primeiros, decidiu realizar sua parada trabalhando numa estratégia diferente, abrindo espaço para o peruano Tito Tomey da AM2PM que fechou o Top5 da primeira prova.


Ainda na primeira bateria, a volta 6 foi o ponto alto dos problemas. Fabio Quadrado (Drone E-Racing Car7) abriu a sequência desastrosa passando reto na curva 2, parando apenas na proteção de pneus. Na sequência, Neto Vidal (Sinister Project) em uma tentativa frustrada de ultrapassem em cima de Peterson Luis (Scuderia TechForce), perdeu o controle do carro e ficou ao contrário na pista, provocando um salseiro envolvendo Leo Nogueira (W3 Race), Glauber Belo (Thunder Racing) e Felipe Granado (HVM Racing Team). Todos conseguiram continuar na prova, porém, com prejuízo.




10 posições invertidas, e sigam o líder!

Argenis Riera - Líder após a 1ª etapa



Com a inversão de grid e as estratégias de pit completamente misturadas para a segunda corrida, a expectativa era grande para saber qual seria o melhor caminho escolhido pelos pilotos. O argentino Argenis Riera da TR Bluvos Motorsports que já havia feito sua parada na primeira prova, e havia conquistado uma excelente 6ª posição após uma boa manobra de ultrapassagem em cima de João Gabriel da HD Engineering , repetiu o feito logo no início da segunda bateria para garantir um ainda melhor 3º posto, somando pontos suficientes para assumir a liderança da competição. J. Gabriel se estabeleceu em 4º com R. Laurito, desta vez, se garantindo na 5ª posição.


Enquanto que E. Sá e R. Silveira tinham problemas ainda no início da segunda corrida, T. Barbosa corria atrás de pontos preciosos e era o único do pódio inicial a finalizar entre os 10 primeiros, salvando um 8º lugar. Na briga pela vitória da corrida, João Bregonci da AM2PM que havia largado na frente, pressionava toda vida J. Richart que tinha tomado a ponta logo na largada. Pressão essa que durou até a volta 11, quando numa belíssima manobra de ultrapassagem, por fora, retomou a ponta para não largar mais. J. Richart ainda teve que segurar os ímpetos de A. Riera para concluir em 2º. Mais atrás na briga pela 8ª posição, Douglas Martins que está sem equipe nesta temporada, também aprontava uma excelente manobra no complicado traçado neozelandês em cima de Glauber Belo da Thunder Racing. No fim, G. Belo ficou com o 9º lugar e Douglas abandonou a prova.


João Bregonci - Vencedor da 2ª bateria




VT da Corrida:


Para a classificação completa e os resultados oficiais, acesse nosso SLS - Sistema de Resultados. Próxima corrida acontece no dia 17/03 no circuito virtual de Hampton Downs, também na Nova Zelândia. Nos encontramos lá.

59 visualizações